“O bom filho à casa torna”: depoimentos de egressos que voltaram a ser alunos da FAVI

Você gostaria de saber o que nossos ex-alunos pensam a respeito da experiência que viveram na graduação? A Faculdade Vicentina está realizando uma série de entrevistas com seus egressos, para saber como eles avaliam o período de estudos. 

JulioOlhar o mundo com novos olhos

O acadêmico Elpídio Júlio Cardoso é seminarista vicentino e cursou Bacharelado em Filosofia na FAVI, de 2016 a 2018. Em seu depoimento sobre nossa instituição, ele conta que a experiência foi enriquecedora. 

“Encontrei na FAVI o que é difícil encontrar em outras instituições: um ambiente altamente profissional, mas ao mesmo tempo familiar, no qual você tem acesso fácil desde a zeladora até o Diretor Geral. Além disso, os professores são muito bem preparados e próximos dos alunos”, observa.

Acerca do seu crescimento pessoal, Júlio destaca: “O curso de Filosofia me ajudou de forma significativa a olhar o mundo com novos olhos, e a não aceitar tudo o que ele nos oferece sem antes ponderar. É importante aprender a olhar por trás das fachadas, ainda mais nessa época em que vivemos uma polaridade exacerbada regada a muitas falsas notícias e mentiras fantasiadas de verdade. Além do conhecimento teórico e prático, a instituição preza por um amadurecimento humano-afetivo do estudante, para que possa contribuir de forma eficaz na sociedade”. 

Atualmente, o aluno continua na FAVI. Ele cursa Bacharelado em Teologia e está se especializando na pós-graduação em Gestão de Obras Religiosas e Instituições Sociais

“Estou muito satisfeito porque, em ambos os cursos, encontrei a mesma qualidade que me fez caminhar nas estradas da filosofia até a conclusão do curso. Como diz o ditado: ‘O bom filho à casa torna’. Mas acrescento que o bom filho só retorna se a casa for realmente boa. E, com propriedade, eu posso afirmar que a Faculdade Vicentina é”, conclui o seminarista.

Igor Saplak fotoAutoconhecimento, senso crítico e autonomia

Igor Saplak começou sua trajetória na Faculdade Vicentina em 2017, no curso do Propedêutico. Em seguida, realizou o Bacharelado em Filosofia, concluindo a graduação em 2020.

“Foi uma experiência muito positiva. Destaco o ambiente acolhedor que a faculdade proporciona. Os professores e funcionários sempre atenciosos e extremamente capacitados, acompanhando de perto o desenvolvimento dos discentes e trabalhando em conjunto para garantir um leque de conhecimentos interdisciplinares. Destaco ainda a estrutura que a FAVI oferece, bem como a capacidade de se atualizar e se aperfeiçoar conforme a necessidade. Principalmente em tempos pandêmicos, adaptando-se eficazmente à urgência do ensino remoto e mantendo a alta qualidade do ensino”, relata o estudante.

Perguntado sobre a relação do curso com seu crescimento pessoal, Igor afirma que, sem dúvida, houve uma contribuição. “Estudar na FAVI me proporcionou autoconhecimento e amadurecimento. O curso de filosofia é desafiador, exige esforço, comprometimento e dedicação. Exige também abertura e diálogo. Tudo isso contribui grandemente para a formação de nossa personalidade, para encontrarmos um sentido de vida. As muitas indagações e debates que a filosofia promove aumentam a nossa capacidade de reflexão, nos possibilitam adquirir senso crítico e autonomia no pensar e no agir e fortalecem nossas relações interpessoais e afetivas”.

O egresso destaca ainda o aspecto prático que os estudos acadêmicos proporcionam em sua vida. “O conhecimento filosófico nos auxilia desde em questões corriqueiras de nosso cotidiano, em que somos obrigados a pensar e agir rápido, até a tomada de decisões mais complexas e importantes, que iluminam o caminho ao qual queremos seguir. Questionar e refletir sobre a realidade é essencial para fazermos escolhas mais seguras e confiáveis, posicionando-se frente aos desafios que a sociedade atual apresenta a cada um de nós. A filosofia contribui para alcançarmos as respostas necessárias, com maior liberdade e autonomia, enfrentando as crises e os problemas contemporâneos”, afirma.

Atualmente, Igor faz parte da turma da pós-graduação em Ética e Direitos Humanos da FAVI, além de estar iniciando a formação pedagógica em Filosofia. “Pretendo continuar estudando e me aperfeiçoando, fazer mestrado e quem sabe, doutorado”, revela.