Alunos e formadores falam sobre a experiência das aulas remotas

Foto: Freepik

Em atenção à saúde pessoal e coletiva, seguindo as orientações das autoridades e as medidas recomendadas pelos especialistas para prevenção do coronavírus, a Faculdade Vicentina suspendeu suas aulas presenciais desde o dia 18 de março. No entanto, a equipe acadêmica seguiu trabalhando, para avaliar as possibilidades e propor alternativas para que as atividades de ensino e aprendizagem pudessem ser realizadas de novas maneiras, mantendo a segurança de todos. Assim, teve início o período de aulas remotas.

“Na primeira semana, a partir de orientações básicas da Faculdade, cada professor usou de toda sua criatividade para dar continuidade ao ensino na melhor forma possível. Imediatamente, porém, entendemos que a paralisação não seria por pouco tempo. Aproveitamos, então, o recesso da Semana Santa para escolher entre as plataformas disponíveis a que melhor pudesse atender aos professores e alunos. No retorno da Páscoa, a plataforma escolhida já estava instalada e as aulas passaram a ser ministradas através dela”, explica o professor Luiz Balsan, coordenador do curso de Filosofia, que participou deste processo de reorganização das atividades.

O tempo de preparação para a utilização dos aparatos tecnológicos também foi um ponto muito importante para a adaptação ao novo modelo. “Os treinamentos realizados com os docentes foi essencial para otimizar o uso das diversas ferramentas que a plataforma oferece. Hoje, a comunidade acadêmica partilha a convicção que, através das aulas remotas, estamos mantendo a qualidade do ensino que tínhamos na modalidade presencial”, destaca Balsan. 

Comentários dos alunos

Osmair Sandeski, aluno do 3º ano da graduação em Filosofia, avalia a experiência de maneira positiva. “A plataforma e a interação entre os discentes e os professores são boas. Os professores são dedicados e as aulas se tornam bem proveitosas. Ainda ficam à disposição por meio de grupos de WhatsApp e e-mail, para tirar dúvidas. Os materiais de apoio são disponibilizados e todos têm acesso. A minha impressão é positiva e foi um novo aprendizado em todos os sentidos. Não apenas na questão do novo formato das aulas, que a Faculdade Vicentina proporcionou, mas também pelo momento difícil que a sociedade atravessa. Momento de um novo olhar para a humanidade e o planeta. Sou muito grato a todos da FAVI pelo empenho e dedicação no ensino”, comenta. 

O discente Felipe Teider de Godoi, também do 3º ano de Filosofia, cita como exemplo a disposição do professor Dr. Aluísio M. von Zuben, que passou a utilizar um quadro negro em sua própria casa, além de novos aparelhos para transmitir as aulas e deixá-las mais próximas de como eram em sala de aula. “Gostaria de destacar o esforço dos professores em adaptar-se a essa realidade, mudando suas metodologias. Destaco a proximidade do coordenador do curso quando temos necessidade! E a prontidão dos professores em compreender nossas necessidades, nos atendendo nas redes pessoais”, ressalta.

Comentários dos formadores

Entre os desafios do cenário atual, Pe. Urbanus Mulati, reitor do Seminário Filosófico dos Missionários da Consolata, menciona o cansaço que pode decorrer do número maior de horas em frente à tela do computador. E a necessidade de tempo suficiente para os estudos pessoais. Por outro lado, também reconhece o empenho de todas as partes envolvidas. “Na questão das aulas, percebo um grande empenho e dedicação na parte dos meus seminaristas. Com certeza, eles comentam das saudades de aulas presenciais, mas após a pandemia voltarão ao novo normal”, afirma.

Sobre esta nova realidade, Frei Alessandro Farinasso, representante da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, enfatiza o desenvolvimento da habilidade de reinvenção. “Desde o início do mês de março, o início da pandemia da Covid-19 nos obrigou a muitas mudanças e adaptações. Isso prova nossa capacidade de adaptação frente aos desafios. Prova disso são as instituições de ensino, que buscaram rapidamente se ajustar e se reinventar, buscando inspiração no sistema de ensino à distância que já existia em algumas instituições. Essa forma de ensino garante a continuidade dos estudos, sem causar prejuízo aos alunos e mantendo os objetivos do aprendizado. Percebo o empenho dos professores e alunos da FAVI, que se esforçam e se dedicam nessa continuidade. Assim, mesmo diante da impossibilidade das aulas presenciais e sua importância, é possível manter o foco e continuar recebendo os conteúdos. E se manter em dia com o programa das disciplinas. Que todo esse esforço e determinação seja recompensado ao fim dessa situação tão desafiadora que estamos passando”, almeja.