Espiritualidade no processo de enfrentamento do luto será tema de live com o Pe. Joélcio

Foto: Freepik

Neste período de pandemia da Covid-19 e do distanciamento social como medida preventiva, muitas pessoas têm se questionado sobre o valor da vida. Por um lado, existem as posturas de cuidado e gratidão pela própria saúde, de amigos e familiares. Por outro, também estão presentes os sentimentos de medo e aflição, frente a uma crise de grandes riscos e proporções, diferente de tudo que já enfrentamos.

Nesse aspecto, lidar com o tema do luto durante esse período de quarentena – seja em decorrência do coronavírus ou de outras causas – é mais um desafio a ser enfrentado. Por isso, a Faculdade Vicentina ajuda a divulgar uma live sobre o assunto. 

O Pe. Joélcio Saibot, psicólogo e diretor de ensino da Faculdade Vicentina, e Jaqueline Puquevis de Souza, psicóloga e professora da Uni Guairacá, falarão a respeito da espiritualidade no processo de enfrentamento do luto. Tema que foi desenvolvido por eles como trabalho de conclusão de curso para a graduação em Psicologia.

A atividade será nesta quinta-feira, 21 de maio de 2020, às 19h30. A transmissão ao vivo será realizada pelo perfil @jaquelinepuquevis, no Instagram. 

A proposta é traçar relações da temática com o momento atual, apresentando como a espiritualidade pode ajudar na vivência do luto neste contexto de pandemia.

Fundamentação

Confira o resumo do artigo que servirá de base para a conversa, com os principais tópicos que serão abordados:

“O presente estudo busca analisar o luto e suas fases e como a espiritualidade pode auxiliar no processo de seu enfrentamento. Na literatura psicológica, o luto é entendido como um processo vivido frente a perdas significativas da vida. Essas perdas exigem um processo de ressignificação frente àquele ser que foi perdido e se dará de forma individual. A partir de uma revisão bibliográfica sobre os temas de luto e de espiritualidade, buscou-se compreender as possíveis influências da espiritualidade no processo de enfrentamento do luto, compreendendo a espiritualidade não como práticas religiosas institucionalizadas, mas como fonte de sentido de vida. Assim, é preciso compreender o sentido de vida e de morte para cada indivíduo considerando a cultura em que está inserido. Os resultados dessa pesquisa apontam que, no processo de aceitação da morte de alguém, a espiritualidade auxilia na ressignificação da vida, agora sem a pessoa recém-perdida. Cultivar uma espiritualidade não evita o processo do luto, mas dá coragem e permite que a pessoa entre nesse processo vivenciando os sentimentos e elaborando novas formas de dar continuidade e agregando conceitos novos à própria vida”.

IMG 20200519 WA0012