Banner vestibular 02 banner

Seminário Conectando Solidariedade: educação e pessoas em situação de rua

A Educação Vicentina - Província de Curitiba (junto às instituições educativas de Curitiba e Araucária), a Faculdade Vicentina (FAVI) e a Casa de Acolhida São José promovem o Seminário Conectando Solidariedade nesta terça-feira, dia 9 de outubro, das 8h30 às 11h. A atividade será realizada nas dependências da FAVI, localizada na Rua Jaime Reis, 531, em Curitiba (PR). E faz parte do projeto pedagógico-pastoral Conectando Relações, dinamizado pela Educação Vicentina na Província de Curitiba em 2018.

“Entre os objetivos dessa Ação Comum está a sensibilização ativa da Comunidade Educativa para a realidade das pessoas em situação de rua. Não obstante o aspecto prático do projeto, voltado à melhoria da lavanderia da Casa de Acolhida como espaço de atendimento sistemático a essa população, busca-se refletir sobre o papel da educação na transformação e superação da condição de vulnerabilidade humana e social que atinge este grupo”, apresenta o projeto do Seminário.

Outro ponto destacado no documento que descreve a atividade é a socialização de conhecimentos e experiências entre a educação básica, o ensino superior e a comunidade – fortalecendo a dimensão colaborativa que constitui o carisma vicentino. Os acadêmicos dos cursos de Filosofia e Teologia da FAVI participarão desta manhã, como parte de sua formação acadêmica e humana. E o professor Dr. André Langer contribuirá com um viés sociológico em uma mesa redonda que apresentará diversos pontos de vista acerca do tema.

Também estarão presentes alunos no 9º ano da Escola Vicentina Nossa Senhora das Mercês, de Curitiba; da Escola Vicentina Sagrado Coração de Jesus, de Araucária; e do Colégio Vicentino São José, de Curitiba.

Tema atual e relevante

“As pessoas em situação de rua se apresentam hoje como um grupo em crescente vulnerabilidade social. Além de questões voltadas à moradia e outras necessidades imediatas, observa-se a existência de um cenário de preconceitos e de diversas formas de violências em relação a essa população. Assim, urge somar ao trabalho sistemático de atendimento articulado no âmbito de políticas públicas e outros mecanismos da assistência social, uma abordagem educativa capaz de gestar uma nova mentalidade pessoal e coletiva, fundada na tolerância e no respeito, no reconhecimento efetivo da dignidade dessa população e na legitimidade de seus direitos como cidadãos/ãs. Entende-se que a escola como um espaço educativo por excelência pode e deve dar seu contributo nesse sentido, aproximando áreas do conhecimento, dialogando com experiências interdisciplinares e intuindo caminhos para a vivência e comunicação de atitudes de acolhida e solidariedade”, justifica o projeto.

Desta forma, a atividade visa a promover o intercâmbio reflexivo e vivencial entre a comunidade educativa vicentina e as pessoas em situação de rua, a partir de seus respectivos espaços de atendimento, a fim de integrar conhecimentos, fortalecer vínculos e ampliar a cooperação solidária.

Arte2