Banner vestibular 02 banner

O que dizem os alunos da graduação em Teologia da FAVI

O bacharelado em Teologia da Faculdade Vicentina é aberto a qualquer pessoa que possui o Ensino Médio completo, seja ela pertencente a alguma ordem religiosa ou não. A partir da ciência teológica, pode-se ressignificar a realidade atual e a busca pelo sentido da vida, em meio a tantas mudanças e verdades líquidas dos tempos atuais.

O curso tem 4 anos de duração e as aulas acontecem no período da manhã, ministradas por uma equipe de professores mestres e doutores. Ao todo, a matriz curricular é formada por 2.720 horas de aula, compreendendo três núcleos: fundamental, interdisciplinar e teórico-prático.

Realização de um sonho

Aula TeologiaNo ano de 2009, a analista de sistemas Jane Centenaro ingressou na graduação em Teologia. Dois anos antes, ela havia participado de um curso sobre teologia básica promovido pelo Instituto Arquidiocesano de Formação na Fé (IAFFE), da Arquidiocese de Curitiba – o que despertou seu interesse em aprofundar os estudos nesta área e cursar a graduação na FAVI.

Sobre os aspectos que mais chamaram a sua atenção e a fizeram escolher a instituição de ensino, Jane destaca: “Pareceu-me uma grade mais voltada para teologia sistemática. Pelos títulos das matérias e respectivas grades horárias, percebia-se a importância dada a cada uma delas. O que me fez esperar um maior aprofundamento”. Outro fator decisivo foi a formação dos professores: “o que mais tarde pudemos constatar a partir da nota que a faculdade recebeu do MEC, se não a maior, mas uma das maiores”.

Hoje, aos 56 anos, já formada, ela reconhece que a experiência exigiu muito estudo e perseverança. “De início, tive um sentimento de alienação, pois faltava familiaridade com a linguagem utilizada, que aos poucos e com a paciência dos professores e um sincero interesse em esclarecer e ajudar os alunos, foi sendo vencida essa dificuldade e tudo foi transcorrendo de forma a chegarmos à conclusão do curso. A turma era bem diversa, havia leigos solteiros, casados, religiosas e seminaristas. Inclusive um dos alunos pertencia a outra denominação religiosa”, conta.

Jane acredita que a graduação foi transformadora em sua vida: “colocou-me numa posição de quem compreende a própria fé e também com muito mais segurança para atuar na minha própria comunidade. Hoje, desempenho a função de secretária de uma paróquia e sinto-me bem preparada para receber todas as pessoas e atendê-las com muita serenidade e conhecimento suficiente para ajudá-las no que necessitam”.

Por isso, ela indica o curso a todas as pessoas que desejam aprofundar a fé. “Com certeza muda completamente a visão sobre a fé e a Igreja. Ter um conhecimento mais aprofundado faz com que a pessoa tenha mais tolerância e, ao mesmo tempo, saiba identificar o que, do ensinamento de Jesus, está sendo transmitido corretamente e o que está sofrendo desvio, podendo se posicionar ou não, conforme seu próprio entendimento”, afirma.

Conhecimento que se multiplica também com a participação de leigos

De amigo de um dos professores a aluno: assim foi o início da trajetória de estudos de Robinson Lourenço da Silva na Faculdade Vicentina, que fez parte da primeira turma de Teologia, formada por leigos e religiosos, de 2008 a 2011. Na opinião dele, o nível já começou altíssimo, com “professores escolhidos a dedo, que interagiam muito com os alunos, com uma qualidade de ensino diferenciada”.

Após o bacharelado, Robson também cursou as duas pós-graduações em Bíblia (com ênfase no Antigo Testamento e em Jesus Cristo), uma pós-graduação em Espiritualidade e, em 2018, ajuda a escrever a história da FAVI novamente, participando da primeira turma da especialização em Aconselhamento e Orientação Espiritual.

Além do vínculo como aluno, Robson fortalece sua relação com a instituição como funcionário. E os aprendizados de toda essa convivência com a comunidade acadêmica reflete-se também em seus trabalhos junto à Igreja, como ministro de eucaristia, catequista e parte da liderança comunitária. “Uma das frentes de meu trabalho hoje é falar com o público e multiplicar um pouco desde conhecimento”, relata.

Três motivos para cursar Teologia na FAVI

Celsita Stete passou a ser aluna da Faculdade Vicentina em 2009, por meio da graduação em Teologia, uma área que a interessava desde a infância. Desde então, não parou mais. Já está cursando sua quinta especialização. Quer saber quais são os aspectos que ela destaca sobre o curso?


Leia mais: O que os alunos da pós-graduação falam sobre a FAVI

Fotos: Geovanni C. De Luca