“Fundamentos filosóficos dos Direitos Humanos”: este será o tema da terceira edição do evento Diálogos Interdisciplinares, promovido mensalmente pela Faculdade Vicentina. A professora convidada a falar desse assunto é a Dra. Karla Pinhel.

A conferência será realizada no dia 26 de agosto, das 9h30 às 12h, no Auditório da FAVI (Av. Jaime Reis, 531A).

Trata-se de uma manhã formativa, aberta à comunidade e aos questionamentos e reflexões. Por isso, todos estão convidados a participar deste diálogo sobre Direitos Humanos, trazendo seus comentários e dúvidas para partilhar. Não há necessidade de inscrição, nem taxa de entrada.

Saiba mais sobre a palestrante

Karla Pinhel é doutora em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e graduada em Direito pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Tem publicações nacionais e internacionais nas áreas de Filosofia, Ética e Política, Direitos Humanos, Paz e Segurança das Nações Unidas. 

Trabalhou em vários segmentos governamentais, não governamentais e organismos internacionais. É ex-consultora da Organização das Nações Unidas (ONU). Foi selecionada entre as 40 melhores profissionais do Brasil na área de Assuntos Sociais pelo United Nations Young Professionals Programme (YPP). Foi pesquisadora visitante na Academia de Artes de Berlim, Arquivo Walter Benjamin, Alemanha. Possui capacitação na área de Operações de Paz pelo Center for International Peace Operations (ZIF), Hochschule für Polizei Baden-Württemberg (HfPolBW), Alemanha e Core-Diplomatic Training na área de Paz, Segurança e Diplomacia pelo United Nations Institute of Training and Research (UNITAR), Genebra, Suíça. 

Atualmente, é professora de Filosofia do Centro Universitário Curitiba (UNICURITIBA), coordenadora do Projeto Operações de Paz das Nações Unidas (OpPAZ) do UNICURITIBA, coordenadora do Grupo de Pesquisa Sistema Interamericano de Direitos Humanos e do GT4 - Mulheres, Paz e Segurança da Rede Brasileira de Pesquisa em Operações de Paz (REBRAPAZ).

Direitos humanos 1200

Gestão sob a ótica dos documentos da Igreja foi o tema trabalhado durante o segundo módulo da pós-graduação em Gestão de Instituições Sociais e Obras Religiosas, cujas aulas aconteceram nos dias 19 e 20 de julho, na Faculdade Vicentina. A disciplina foi ministrada pelo professor Adilson Souza, superintendente do Instituto Axis de Belo Horizonte, que assessora diversas Congregações Religiosas, Arquidioceses e Dioceses, há mais de 20 anos.

“Foi uma abordagem ‘documental’, ou seja, extraí dos diversos, inúmeros e valiosos documentos da nossa Igreja vários pontos que cruzavam a área gerencial com a questão do patrimônio (bens, direitos e obrigações) da Igreja. E, ao mesmo tempo que o assunto era explanado e discutido, eu procurava trazer à tona experiências diversas em mais de 150 instituições eclesiásticas já atendidas ao longo de minha trajetória e os desafios das mesmas no seu dia a dia. Concomitantemente, os alunos - bem participativos - também colocavam suas experiências afins da entidade ao teor do material apresentado”, conta o professor.

Para ele, o final de semana de aulas em Curitiba foi muito produtivo: “O assunto me atrai, a causa me consome. Então, falar da Igreja, de documentos canônicos, das instituições diversas e das possibilidades de melhoria das mesmas, bem como da perenidade dos espaços de evangelização, é algo bem interessante e prazeroso”. 

Dimensão prática

A possibilidade de contribuir, de maneira prática, nos contextos em que os alunos estão inseridos também foi um aspecto de destaque deste módulo. “Acredito que, dado o enfoque legal dos documentos canônicos e da (breve) parte da legislação civil também abordada em alguns momentos, os alunos terão maiores e melhores possibilidades na gestão dos bens eclesiásticos e uma maior proteção aos mesmos. Os cases abordados em sala de aula poderão propiciar a todos uma boa experiência a ser traduzida na prática, dado que todos os cases citados são reais e ocorreram em instituições similares àquelas das quais os alunos fazem parte. Eu espero que o dia a dia de todos possa ser melhor gerenciado e os trabalhos possam ser conduzidos com uma leveza maior”, comenta o especialista.

Pos Gestao Mod 2 3Saiba mais sobre o professor

Adilson Souza é graduado em Matemática e Física. Possui especializações em Qualidade, em Gestão e em Meio Ambiente; MBA em Gestão Estratégica e MPA em Administração Pública. É mestre em Engenharia Metalúrgica. Fez dois cursos de gestão na Fundação Dom Cabral (especializada em Formação para Executivos). 

Também traz no currículo a experiência de cursos de curta duração em renomadas instituições internacionais. Na Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma, estudou gestão de bens da Igreja e o Livro V do CDC. Já na Universidade de Roma, adquiriu mais conhecimentos sobre recuperação de créditos fiscais. E no Goddard College (EUA), a temática estudada foi inovação em educação.

Atuando como professor desde os 21 anos anos de idade, Adilson tem mais de 30 anos de vivência em salas de aula, em escolas de educação básica, cursos profissionais, técnicos, graduação, tecnólogos e especializações. Também já trabalhou na área industrial, durante a construção do aeroporto de Confins, em Belo Horizonte; foi diretor e gerente de escolas católicas na capital mineira e em Recife; diretor de escolas do SENAI e do SESI; gerente de um abrigo (antiga FEBEM) e de um presídio com metodologia APAC. 

Atualmente, é professor na Universidade de Itaúna, no Instituto São Tomás de Aquino (ISTA) e integrante do corpo docente da pós-graduação da FAVI. Além de ser responsável pela superintendência do Instituto Axis.

Demonstrando o comprometimento do corpo docente com a área da pesquisa científica, a Faculdade Vicentina celebra o lançamento do livro Padre Cícero - Para fazer valer a justiça e a verdade. Trata-se de mais uma obra escrita pelo professor Dr. Edimar Brígido. Desta vez, o tema abordado foi o julgamento eclesiástico de Padre Cícero.

A publicação faz parte da coleção “Grandes julgamentos da história”, coordenada por Luiz Eduardo Gunther e Marcelo Bueno Mendes. O prefácio é assinado por René Ariel Dotti.

O livro é destinado aos alunos de Filosofia, Teologia, Direito e Ciências Humanas em geral. E já está disponível para aquisição por meio do site ou Televendas da Juruá Editora. Em breve, também em livrarias.

Resumo

Isento de adornos que possam macular os fatos, recorrendo ao mastro da ciência e à bússola da justiça, retornaremos ao Brasil de antigamente, quando reis e bispos detinham quase todo o poder e revisitaremos palácios e tribunais eclesiásticos a fim de reconstruir a hermética “questão jurídico-religiosa de Juazeiro”. “Para fazer valer a justiça e a verdade”, longe de abrir espaço para um acalorado revisionismo histórico, o que se pretende é analisar as partes do processo jurídico-episcopal que condenou padre Cícero Romão Batista ao banimento, evocando especial atenção ao que postulamos ser os quatro principais erros processuais – a precipitação; a informalidade; a injustiça; a interpretação – que, se observados a seu tempo, teriam resultado em um desfecho totalmente diverso daquele que foi proferido.

Leia mais: Entrevista sobre a condenação e o processo de reconciliação do Pe. Cícero - Dra. Annette Dumoulin

IMG 8694

Música, quitutes, muitas cores, brincadeiras e um clima de confraternização tomaram conta do Auditório da Faculdade Vicentina no dia 28 de junho. O motivo foi a realização da Festa Junina promovida pelo Diretório Acadêmico, que era aberta aos alunos, professores e comunidade.

Teve quadrilha, dança das cadeiras, dinâmica do “morto-vivo”, entre outros momentos de diversão e partilha. 

Cada participante também contribuiu com a festa, levando uma bebida ou um prato de doce ou salgado. A colaboração de todos faz parte do sucesso da noite.

Confira as fotos na página da FAVI no Facebook.

“Alteridade: o reconhecimento do outro”: este é o tema do Concurso de Poesia que a Faculdade Vicentina está promovendo, com a curadoria do professor Dr. Edimar Brígido e a colaboração do Diretório Acadêmico. Todas as pessoas com 16 anos ou mais estão convidadas a participar!

>>> REGULAMENTO

Concurso de poesia v3

Nesta terça-feira, dia 9 de julho de 2019, com os professores reunidos para avaliar o que já foi realizado até esta etapa do ano e conversar sobre o que ainda está por vir, encerramos mais um semestre letivo na Faculdade Vicentina. Temos muito a agradecer pelo trabalho que vem se consolidando cada vez mais, pelo comprometimento de nossos alunos e por mantermos os valores que norteiam a educação vicentina, proporcionando não apenas uma formação profissional, mas sim uma formação para a vida toda.

Para os próximos dias, desejamos que os alunos, professores e demais integrantes da comunidade acadêmica que terão alguns dias de recesso possam aproveitar este tempo para descansar, recarregar as energias e se preparar para o novo ciclo que está por vir. Em nome de toda a comunidade acadêmica, desejo boas férias!

Nossas aulas voltarão no dia 29 de julho. Esperamos todos renovados e motivados a dar sequência nos aprendizados deste ano!

 

Cordialmente,

Pe. Ilson Luís Hübner
Diretor geral

“Alteridade: outro modo de ser ou um modo de estar?”: este foi o assunto das reflexões da segunda edição do evento Diálogos Interdisciplinares, realizado na manhã do dia 24 de junho, no Auditório da FAVI. A conferência foi conduzida pela Ir. Dulcelene de Fátima Ceccato (SDS), que é mestre e doutora em Filosofia pela Pontificia Università Gregoriana de Roma, na Itália.

Alteridade 2“Este é um tema relevante e decisivo na Filosofia, um dos mais significativos do momento, para pensarmos como nos relacionamos com o outro”, disse o professor Bortolo Valle, na abertura do encontro.

Em sua exposição, Ir. Dulcelene apresentou a trajetória do termo alteridade na tradição filosófica e destacou os pensamentos de dois autores: Emmanuel Levinas e Rodolfo Kusch. “Falar de alteridade é uma urgência para a filosofia. Todos estamos implicados nesta realidade”, afirmou.

A palestrante também abordou a questão da naturalização da violência frente às diferenças, maneiras para minimizar as polarizações e consequências da evolução dos dispositivos tecnológicos, entre outros aspectos mencionados nos comentários e perguntas dos participantes.

Alteridade 3“O objetivo destes encontros é abrir janelas, para que a gente não fique somente na matriz curricular, mas tenha uma sensibilidade para os temas do nosso tempo”, explicou o coordenador do curso de Filosofia, professor Luiz Balsan, no encerramento.

 

Fotos: Geovanni C. De Luca

Mais Artigos...