Banner vestibular 02 banner

Passada a Semana de Provas, realizada de 19 a 27 de abril, veio o tempo de avaliação geral do primeiro bimestre e de preparação para continuidade do trabalho. Comprometida com a educação de qualidade, a Faculdade Vicentina preza pelo acompanhamento do planejamento e do calendário acadêmico, sempre atenta ao desenvolvimento dos alunos e suas demandas.

Nesta segunda-feira (7 de maio) pela manhã, aconteceram as reuniões de professores do curso Propedêutico e da graduação em Filosofia. E também um encontro do Colegiado de Filosofia, com a participação de representantes dos alunos. Tempo de compartilhar experiências, de refletir sobre oportunidades de melhoria e celebrar tudo que já foi realizado neste ano.

Que todos possam ter um segundo semestre produtivo e de muito aprendizado.

Fotos: Geovanni C. De Luca

No diálogo Górgias, escrito por Platão, é possível encontrar uma anedota que passa quase despercebida aos olhos do leitor apressado. Cálicles e Sócrates, personagens do diálogo, discutem a respeito da importância da Filosofia, quando o primeiro aconselha Sócrates a abandonar a atividade filosófica, alegando que ela não oferece nada de útil à sociedade: não constrói casas, não gera riquezas, não salva vidas. “Se prosseguir filosofando até uma idade avançada, forçosamente ficará ignorando tudo o que realmente importa conhecer [...] é procedimento ridículo, indigno de homens e merecedor de açoites. É precisamente isso que se dá comigo com relação aos que se dedicam à Filosofia”, argumenta ele.

Na linguagem habermasiana, Cálicles representa os ideais tecnocratas daqueles que desejam silenciar a atividade filosófica, em favor de uma agenda mais positivista, alimentada pela lógica capitalista que transforma saberes em produtos, disponibilizando-os para aquisição no Mercado. Para eles, os homens deveriam se dedicar à atividades “mais importantes”, aquelas que podem, de forma pragmática, contribuir com o tão desejado desenvolvimento social, fomentando o progresso da humanidade. Sócrates, o interlocutor que não se deixa ludibriar pela argumentação astuta e revestida de boas intenções, explica para o amigo que deixar de filosofar é simplesmente impossível, porque é impossível deixar de se espantar com a existência. A Filosofia nasce e se renova no embate do homem frente ao mundo, e isso não se pode silenciar: matar a filosofia significa matar o próprio homem.

Resgatando uma moldura típica do Regime Militar, no Brasil tramitam propostas legislativas que pretendem excluir a oferta de cursos da área de Ciências Humanas nas Universidades Federais. Seria essa a forma do progresso? No âmbito Federal, em nome de um projeto de modernização, a Reforma do Ensino Médio eliminou as disciplinas de Filosofia e de Sociologia da grade curricular obrigatória; agora elas são optativas. Lamentavelmente, chamam isso de autonomia.

A nova ordem econômica é enxugar gastos, e a Filosofia não está a salvo dessa exigência. Como se fosse possível formar bons cidadãos e cientistas competentes sem recorrer aos pressupostos filosóficos que servem de suporte fundamental para a própria ciência. A Biologia e a Medicina precisam da Filosofia para problematizar o mistério da vida; o mesmo se passa com a Física e a Química que necessitam da Filosofia para levantar questões acerca da origem da matéria. A Filosofia é indispensável para a formação intelectual alicerçada em valores republicanos, acreditar no contrário seria um erro absurdo. Fazendo coro as sábias palavras de Cassirer: “A filosofia não se separa da ciência natural, da história, da ciência do direito e da política, mas, de certo modo, constitui para todas elas a respiração vivificante, a única atmosfera na qual podem existir e atuar".

Ainda que as articulações políticas e as convulsões súbitas pareçam ameaçar a tranquilidade da reflexão filosófica, elas são, na verdade, estertores de uma realidade que está prestes a morrer, e que, por reconhecer essa inevitável fatalidade, revoltam-se mais ferozmente contra a Filosofia. Por tudo isso, mais do que nunca: Sapere Aude!

Artigo de Edimar Brígido - Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Professor da Faculdade Vicentina.

Acesse o texto em PDF.

Durante o recesso da Semana Santa de 2018, integrantes da comunidade acadêmica da Faculdade Vicentina participaram de atividades missionárias em suas comunidades e em outras cidades. Um grupo de seminaristas vicentinos escreveu um relato sobre a importância desta experiência.

Confira o texto abaixo:

“A Faculdade Vicentina (FAVI) fecha suas portas durante a Semana Santa, apoiando as missões, incentivando seus estudantes a abrirem suas portas e lançarem-se ao encontro daqueles que mais precisam, num verdadeiro espírito de missão.

Na Semana Santa de 2018, um grupo formado por 12 estudantes de Filosofia e uma funcionária da FAVI foram enviados para a missão em Catanduvas do Sul e Prudentópolis. Para Catanduvas do Sul, comunidade polonesa que mantém viva as tradições dos seus antepassados, foram os estudantes Marlon e Patrick (3º e 1º anos, respectivamente).

O restante do grupo foi para o interior da cidade de Prudentópolis, em dois setores: Jaciaba e Lageado Raso, ambas regiões de pequenos produtores rurais poloneses e ucranianos.

Nos setores, os missionários foram subdivididos da seguinte forma:

Setor Jaciaba: Alisson (3º) e Gabriel (1°) em Rio Belo; Djony (3º) e Juliano (1º) em Marrecas de Cima; e Janaína e Júlio (3º) em Jaciaba.

Setor Lageado Raso: Fernando (1º) e Matheus (3º) em Macacos; Igor (1º) e Pedro (3º) em Lageado Raso e Leonardo (3º) em Vitorino.

Foram realizadas bênçãos de casas, celebrações da Palavra, encontro de casais, encontro de jovens, encontro com crianças, conversas e aconselhamentos, bem como a convivência e a vivência da realidade de cada comunidade. Foi um momento de autoconhecimento, de dedicação ao próximo, aprendizado e discernimento vocacional”. 

Colaboração (texto e fotos): seminaristas vicentinos

Foto: Suksao - Freepik.com

Estão se aproximando os últimos dias do prazo máximo de inscrição para os cursos de pós-graduação do primeiro semestre da Faculdade Vicentina. As aulas começaram em março, mas os interessados ainda podem ingressar nas turmas novas até o início do segundo módulo. Para isso, precisam entrar em contato com a FAVI até o dia 13 de abril, para preenchimento das últimas vagas.

São duas opções de cursos: especialização em Bíblia 1, com ênfase em Jesus Cristo, e Aconselhamento e Orientação Espiritual (em Curitiba e Pitanga) – que além do conceituado corpo docente da FAVI, contam com a colaboração de renomados professores de instituições parceiras do Paraná e de outros estados.

Para obter mais informações, basta entrar em contato com a Secretaria, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone (41) 3222-7716.

Arte Pós

“Alegrai-vos e exultai”: este é o convite que o Papa Francisco faz a todos, já no título em latim de sua nova Exortação Apostólica, chamada “Gaudete et Exsultate”. O documento possui cinco capítulos e 177 parágrafos, que reforçam o chamado à santidade, sem desconsiderar os desafios e as oportunidades do contexto atual. E que também destacam a importância da alegria.

Em artigo publicado pelo Instituto Humanitas Unisinos, o padre vicentino Eliseu Wisniewski, mestre e doutorando em Teologia e presbítero da Congregação da Missão Província do Sul, explica a santidade precisa ser compreendida como um programa de vida, que acontece no dia a dia, com pessoas de carne e osso.

No documento, Papa Francisco afirma que a santidade é o rosto mais belo da Igreja. E esta beleza está ligada ao fato de que todas as pessoas podem vivenciá-la, de diferentes maneiras. “(...) o que quero recordar com esta Exortação é sobretudo a chamada à santidade que o Senhor faz a cada um de nós, a chamada que dirige também a ti: «sede santos, porque Eu sou santo» ( Lv 11, 45; cf. 1 Ped 1, 16). O Concílio Vaticano II salientou vigorosamente: «munidos de tantos e tão grandes meios de salvação, todos os fiéis, seja qual for a sua condição ou estado, são chamados pelo Senhor à perfeição do Pai, cada um por seu caminho»” (nº 10).

Com essa afirmação, o Sumo Pontífice deixa claro que não só os católicos, mas toda a humanidade é destinada a ser Povo de Deus. Não se trata de um privilégio, mas sim um convite, acessível e próximo da realidade.

Como sintetiza Pe. Eliseu, com base na Exortação Apostólica: “Pertencendo à família divina e entendendo-nos como frutos do amor ilimitado da Trindade, nascidos do amor de Deus e predestinados ao amor, recebemos a missão de comunicar esse amor aos demais homens e mulheres pelo testemunho, através do próprio modo de viver, através do amor e da caridade. A santidade não é nada mais do que a ‘caridade plenamente vivida’ (n. 21)”. E essa característica pode ser percebida na relação com a família, no posicionamento frente aos desafios que nos cercam, na compaixão com o próximo, nas iniciativas que semeiam a paz, entre outras possibilidades.

Clique aqui para ver o documento completo.

Saiba mais: Alegria é tema de reportagem gravada na FAVI

Foto: Freepik

Alunos e professores da Faculdade Vicentina já estão se preparando para a Semana de Provas do primeiro bimestre de 2018. As avaliações começam no dia 19 de abril (quinta-feira) e terminam no dia 27 (sexta-feira). Trata-se de uma etapa importante do aprendizado e da formação.

Abaixo, está disponível o calendário com as datas dos testes da graduação em Filosofia (1º, 2º e 3º anos) e do curso Propedêutico.

A FAVI deseja bons estudos e boas provas a todos!

Calendario Provas 1bim2018

Calendário.PDF

A diretoria da Faculdade Vicentina informa que a portaria principal – localizada na Av. Jaime Reis, 531A – será reaberta nesta terça-feira (10 de abril). Por questões de segurança, esta entrada ficou fechada durante o período de reforma da passarela entre os dois prédios da FAVI.

A obra teve início no final de 2017. E faz parte de um projeto de melhorias da infraestrutura da instituição, para proporcionar um ambiente cada vez melhor para a comunidade acadêmica.

Ficam os agradecimentos a todos os alunos, professores e demais colaboradores, pela compreensão.

Mais Artigos...