Gabriel

Com o intuito de acompanhar o caminho percorrido pelos seus alunos após a formatura, a Faculdade Vicentina está realizando uma série de entrevistas com os egressos da instituição. Se esse é o seu caso, acesse este link e compartilhe sua experiência também.

E se você está pensando em se inscrever para o próximo processo seletivo da FAVI, que tal ler alguns comentários de estudantes que já concluíram os cursos que escolheram?

Visão crítica, sensibilidade e disciplina

O seminarista Gabriel Dombroski Fiatcoski integrou o corpo discente do Bacharelado em Filosofia no período de 2018 a 2020. Confira o depoimento dele sobre a experiência:

“Ao entrar em uma faculdade busca-se essencialmente três coisas. Um ambiente (estrutura) adequado, um corpo docente qualificado e um comprometimento da direção para com os discentes. Nesse sentido, destaco esses três aspectos que foram e são diferenciais da FAVI. O curso além de possibilitar uma formação acadêmica sólida, possibilitou-me, concomitantemente, um grande desenvolvimento humano e pessoal. Assim, saliento três frutos decorrentes desse processo educativo. Visão crítica, sensibilidade e disciplina”, analisa o egresso.

Gabriel também fala a respeito da transformação que o curso trouxe para sua trajetória pessoal e sua visão de mundo. “Ademais, no que tange a minha vida após o curso, assevero para o fato de que sou um ser mais insatisfeito. Disso, portanto, resulta minha busca para fazer alguma diferença, não qualquer diferença, mas uma diferença positiva neste mundo, muitas vezes, impositivo e indiferente”, reflete.

LeonardoConhecimento e amadurecimento

Leonardo Ulbrich iniciou seus estudos na Faculdade Vicentina no ano de 2016 e colou grau no ano de 2018. Para ele, “o tempo de estudo foi de profundo conhecimento e amadurecimento”. Ele ainda destaca que “a Faculdade tem excelentes professores que proporcionaram e apresentaram um estudo aprofundado das áreas da Filosofia”. 

De acordo com o seminarista, a Faculdade proporciona um espaço adequado de estudo para os seus estudantes, incentivando o despertar para a busca contínua de conhecimento. 

Deste modo, ele deu sequência ao seu caminho de formação. “Estou, atualmente, cursando Bacharelado em Teologia na Faculdade Vicentina e também o curso de especialização em Gestão de Instituições Sociais e Obras Religiosas na mesma instituição”, conta.

Mundo mais amplo, diverso e plural

Ao entrevistarmos o acadêmico Jordhan Victor Gularte Francisco, que concluiu o Bacharelado em Filosofia em 2020, ele destacou alguns pontos que o motivaram a ingressar na Faculdade Vicentina e seguir adiante em seus estudos.

Jordhan Gularte foto“Estudar na FAVI foi uma experiência singular. A instituição dispõe de um ótimo ambiente acadêmico e docentes de alta qualidade. Respeita com sabedoria as correntes da tradição filosófica, abrindo o horizonte dos discentes para um mundo mais amplo, diverso e plural”, afirma.

Acerca de seu crescimento pessoal, Jordhan resgatou um aprendizado do filósofo Heráclito para exemplificar a sua caminhada acadêmica: “‘Não se pode banhar duas vezes no mesmo rio, porque, ao se banhar pela segunda vez, você e a água já não serão os mesmos’. Parafraseando-a em uma linguagem popular, essa frase demonstra claramente como estamos em constante mudança, em uma profunda transição de um estado para o outro. Para mim, portanto, a filosofia é uma grande amiga nessa mudança de vida, uma vez que ela nos faz crescer imensamente, como pessoa e como cidadão”.

Após o término de seu curso, o acadêmico iniciou uma especialização em Ética e Direitos Humanos em nossa instituição. Além de discente, Jordhan é coordenador do Grupo de Pesquisas (CNPQ) desta especialização, com ênfase no eixo “Convergências Tecnológicas”. 

Recentemente, Jordhan também lançou o livro “Ser Humano: Antologia Poética”, junto com o Prof. Dr. Edimar Brígido, docente em nossa instituição.

Você gostaria de saber o que nossos ex-alunos pensam a respeito da experiência que viveram na graduação? A Faculdade Vicentina está realizando uma série de entrevistas com seus egressos, para saber como eles avaliam o período de estudos. 

JulioOlhar o mundo com novos olhos

O acadêmico Elpídio Júlio Cardoso é seminarista vicentino e cursou Bacharelado em Filosofia na FAVI, de 2016 a 2018. Em seu depoimento sobre nossa instituição, ele conta que a experiência foi enriquecedora. 

“Encontrei na FAVI o que é difícil encontrar em outras instituições: um ambiente altamente profissional, mas ao mesmo tempo familiar, no qual você tem acesso fácil desde a zeladora até o Diretor Geral. Além disso, os professores são muito bem preparados e próximos dos alunos”, observa.

Acerca do seu crescimento pessoal, Júlio destaca: “O curso de Filosofia me ajudou de forma significativa a olhar o mundo com novos olhos, e a não aceitar tudo o que ele nos oferece sem antes ponderar. É importante aprender a olhar por trás das fachadas, ainda mais nessa época em que vivemos uma polaridade exacerbada regada a muitas falsas notícias e mentiras fantasiadas de verdade. Além do conhecimento teórico e prático, a instituição preza por um amadurecimento humano-afetivo do estudante, para que possa contribuir de forma eficaz na sociedade”. 

Atualmente, o aluno continua na FAVI. Ele cursa Bacharelado em Teologia e está se especializando na pós-graduação em Gestão de Obras Religiosas e Instituições Sociais

“Estou muito satisfeito porque, em ambos os cursos, encontrei a mesma qualidade que me fez caminhar nas estradas da filosofia até a conclusão do curso. Como diz o ditado: ‘O bom filho à casa torna’. Mas acrescento que o bom filho só retorna se a casa for realmente boa. E, com propriedade, eu posso afirmar que a Faculdade Vicentina é”, conclui o seminarista.

Igor Saplak fotoAutoconhecimento, senso crítico e autonomia

Igor Saplak começou sua trajetória na Faculdade Vicentina em 2017, no curso do Propedêutico. Em seguida, realizou o Bacharelado em Filosofia, concluindo a graduação em 2020.

“Foi uma experiência muito positiva. Destaco o ambiente acolhedor que a faculdade proporciona. Os professores e funcionários sempre atenciosos e extremamente capacitados, acompanhando de perto o desenvolvimento dos discentes e trabalhando em conjunto para garantir um leque de conhecimentos interdisciplinares. Destaco ainda a estrutura que a FAVI oferece, bem como a capacidade de se atualizar e se aperfeiçoar conforme a necessidade. Principalmente em tempos pandêmicos, adaptando-se eficazmente à urgência do ensino remoto e mantendo a alta qualidade do ensino”, relata o estudante.

Perguntado sobre a relação do curso com seu crescimento pessoal, Igor afirma que, sem dúvida, houve uma contribuição. “Estudar na FAVI me proporcionou autoconhecimento e amadurecimento. O curso de filosofia é desafiador, exige esforço, comprometimento e dedicação. Exige também abertura e diálogo. Tudo isso contribui grandemente para a formação de nossa personalidade, para encontrarmos um sentido de vida. As muitas indagações e debates que a filosofia promove aumentam a nossa capacidade de reflexão, nos possibilitam adquirir senso crítico e autonomia no pensar e no agir e fortalecem nossas relações interpessoais e afetivas”.

O egresso destaca ainda o aspecto prático que os estudos acadêmicos proporcionam em sua vida. “O conhecimento filosófico nos auxilia desde em questões corriqueiras de nosso cotidiano, em que somos obrigados a pensar e agir rápido, até a tomada de decisões mais complexas e importantes, que iluminam o caminho ao qual queremos seguir. Questionar e refletir sobre a realidade é essencial para fazermos escolhas mais seguras e confiáveis, posicionando-se frente aos desafios que a sociedade atual apresenta a cada um de nós. A filosofia contribui para alcançarmos as respostas necessárias, com maior liberdade e autonomia, enfrentando as crises e os problemas contemporâneos”, afirma.

Atualmente, Igor faz parte da turma da pós-graduação em Ética e Direitos Humanos da FAVI, além de estar iniciando a formação pedagógica em Filosofia. “Pretendo continuar estudando e me aperfeiçoando, fazer mestrado e quem sabe, doutorado”, revela.

Em 2021, a Faculdade Vicentina passou a utilizar uma nova logomarca. Ou seja, a representação visual da marca foi atualizada, para acompanhar os passos dados atualmente pela comunidade acadêmica e os anseios para o futuro.

Essa mudança faz parte de um processo de amadurecimento e de crescimento da FAVI, tendo em vista também a integração com as demais instituições vicentinas de ensino superior que fazem parte da Congregação da Missão (mantenedora da faculdade).

Confira o que representa cada elemento que compõe a nova marca e a mensagem contida nesse brasão.

WhatsApp Image 2021 05 26 at 11.37.52A comunidade acadêmica da Faculdade Vicentina celebra a publicação de mais uma obra envolvendo o corpo docente e o corpo discente da instituição. Desta vez, trata-se de uma coletânea de poesias, intitulada Ser Humano: Antologia Poética.

O livro é organizado pelo professor Dr. Edimar Brígido e por Jordhan Gularte, egresso do curso de Filosofia e agora aluno da pós-graduação em Ética e Direitos Humanos. E a publicação ficou a cargo de Pedro & João Editores.

No texto de apresentação da obra, Edimar e Jordhan falam da humanidade como busca, processo de conquista. “Humano, que em latim pode remeter ao conceito de húmus, é um convite para transcender à mera existência factual e se tornar ‘terra fértil’, receptora, geradora. Ser humano é ser terra fértil, produtiva, capaz de gerar vida e fazer esta mesma vida florescer e produzir frutos”.

“Poeta chovendo tem sempre um oceano para escorrer de si”, revela o escritor Inocêncio Norte Velho, responsável pelo prefácio da antologia. Em síntese, ele faz um convite aos olhos do leitor, para que possam ir além das formas e regras gramaticais. 

Lançamento

O lançamento do livro foi realizado na noite do dia 29 de maio, com transmissão ao vivo pelo canal da FAVI no Youtube. Confira:

>>> Para adquirir o livro, entre em contato pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

A seguir, confira também o relato dos organizadores sobre o nome do livro e o que ele representa. 

Ser humano: a poesia encontra-se no interstício entre o real e o imaginário 

O ser humano, hoje esse ser que sabe muitas coisas, não sabe o que é o mundo assim que desembarca nele. Espantado com tudo o que vê, imagina milhares de coisas, situações e relações. É um ser aberto ao aí, ao novo para si, à sua nova morada, mesmo que breve. Quem se é, onde se está, para onde se vai são perguntas que, apesar de silenciosas, transbordam em seu olhar. O perambular da criança é a atitude introspectiva de ir atrás de si, mesmo nesta terra de ninguém. Além disso, não sabendo onde se está, ela cria o próprio espaço, mesmo que, para alguns, imaginário.

O adulto, provavelmente enfeitiçado pelas estórias que seus antepassados criaram, não “perde tempo” e logo trata de retirar a criança do mundo das nuvens; do mundo imaginário. “Você não pode fazer isso”, diz a mãe. “Isso é muito caro, saia de perto!”, fala o pai. “Não ande sem camiseta!”, aponta a vizinha. “Cuidado com a chuva!”; “Fique quieto!”; “Não seja criança!”. Enfim... a conclusão muitas vezes é trágica: “que droga de realidade”, suspira a criança. Nascer, crescer, estudar, trabalhar, endividar-se, aposentar e, talvez o menos desprezível, morrer. É isso o real? É só isso o real? A criança, por fim, relembra de Adélia, sua amiga imaginária, bem como de Pessoa, seu carro voador. É impossível esquecer de Cecília, sua parceira de viagem, a qual lhe prometera que morariam na estrela mais linda dentre todas... Sem perceber, criamos adultos que deixaram de sonhar. Adultos que deixaram de imaginar. Muito se perde quando renunciamos aos sonhos de criança.

Ainda que as coisas sejam assim, o despertar do adulto para uma vida infantil pode ser ocasionado pela poesia. Poetizar é transcender o real rumo ao imaginário. Poetizar é viver o mesmo mundo inúmeras vezes de diversas maneiras, sob muitas e diferentes óticas, é nunca deixar de ser criança, espantando-se diariamente com o que se vê e com o que se imagina. 

Nas acertadas palavras de Wittgenstein: “O mundo do homem feliz é diferente do mundo do homem infeliz.” É simples assim, basta ver.

É por isso que a coletânea Ser Humano: Antologia Poética, que agora apresentamos ao público, é mais uma tentativa – que deve ser diária – de desprender o olhar da realidade, direcionando-o ao irreal, ao campo das múltiplas possibilidades, no qual o mundo pode ser bem mais divertido e profundo.

Contando com a generosa participação de poetas e poetisas que experimentam a poesia como uma atitude de vida, esperamos que a obra possa fazer despertar boas lembranças em quem a ler. Afinal, a poesia é uma forma de despertar!

Edimar Brígido
Jordhan Gularte
Os Organizadores

Frei Tiago

Com o objetivo de acompanhar o progresso acadêmico, bem como perceber de que forma o conhecimento adquirido na FAVI trouxe desenvolvimento pessoal e social, a Faculdade Vicentina está realizando uma série de entrevistas com alunos formados pela instituição.

Melhor compreensão da sociedade e dos indivíduos

Entre os egressos que concluíram graduação em 2020 está o Frei Tiago Gulmine da Silva, seminarista capuchinho, que entrou para o Bacharelado em Filosofia no ano de 2018. “Eu havia começado o curso em outra instituição, por isso posso avaliar de maneira comparativa. Senti uma melhora em todos os aspectos, desde a estrutura material e organizacional da instituição até o quadro dos professores, os quais se demonstraram muito competentes”, destaca.

No ponto de vista pessoal e humano, Frei Tiago afirma que o curso contribuiu para seu crescimento. “Pude ter um panorama da produção de conhecimento e das investigações do homem na sua inquietude existencial. O conhecimento me abriu para uma melhor compreensão da nossa sociedade e dos indivíduos”.

Sobre a aplicação dos aprendizados da Filosofia em seu dia a dia, ele comenta: “Todo conhecimento é agregado na ‘maleta de ferramentas’ de nossas vidas. Além do fato de ser transformador, um conhecimento específico nos abre para uma infinidade de possibilidades derivadas ou assuntos correlatos. Cabe a cada um utilizá-lo da melhor forma, para o bem de si e da comunidade”. 

Atualmente, Frei Tiago está cursando o Bacharelado em Teologia.

Alisson Bruno Felipe Medeiros fotoAconchego e incentivo ao potencial de cada um

Alisson Bruno Felipe Medeiros, seminarista vicentino, foi aluno do Bacharelado em Filosofia entre os anos de 2016 a 2018. Em síntese, o estudante faz uma análise positiva da graduação na Faculdade Vicentina.

“Durante o período em que fiz o curso de Filosofia, destaco como importante a estrutura da FAVI. De modo especial, o aconchego que encontro na instituição, pois a mesma vê cada um dos alunos como um potencial para estar atuando de maneira autêntica na sua caminhada humano-social. A Faculdade Vicentina preza pela preparação de cada um de seus docentes, a fim de transmitir o conhecimento de maneira séria e capacitada, despertando assim o interesse no aluno. Durante esse curso, pude compreender melhor de que maneira posso contribuir para o meu crescimento, bem como o crescimento dos meus colegas”, relata o seminarista.

Alisson chama atenção também para a importância da experiência acadêmica para o seu processo formativo religioso. “O curso de Filosofia me permitiu abrir a mente, para que pudesse dar continuidade a minha caminhada dentro de minha Congregação. Com isso, pude impulsionar o meu conhecimento racional, com o objetivo de dar razões a minha vivência como Igreja no mundo. E isso percebo de suma importância para o curso que iniciei posteriormente, o Bacharelado em Teologia. Percebo que, durante esses três anos, o conhecimento adquirido me proporcionou estar mais ciente daquilo que acredito, sempre  buscando aperfeiçoar-me mais, em vista de uma colaboração eficaz para a missão que abraço como seminarista vicentino”, enfatiza.

Djony Noel fotoImportância da filosofia

O seminarista vicentino Djony Noel também cursou o Bacharelado em Filosofia de 2016 a 2018. Em seu depoimento, ele explica como a graduação foi importante em sua vida.

“A Faculdade Vicentina oferece um ensino de qualidade para todos aqueles que desejam trilhar o caminho da filosofia. Sendo assim, durante esses três anos, pude descobrir como a filosofia é importante para o ser humano, embora muitos não saibam desta importância. Ela nos ajuda a desvendar os mistérios e histórias da nossa existência, e a compreender o porquê e a razão fundamental para tudo o que existe”, reflete Djony.

Com relação ao seu aprendizado e ao corpo docente, o aluno comenta: “Os professores que dão aulas na instituição são mestres e doutores muito bem preparados para isso. A Faculdade sempre buscou oferecer a melhor condição para seus estudantes, e foi uma honra ter estudado filosofia numa instituição como essa”, afirma o egresso.

Após esta graduação, Alisson e Djony deram continuidade aos seus estudos em nossa instituição. Atualmente, eles cursam o Bacharelado em Teologia e também fazem parte de uma das turmas da especialização em Gestão de Instituições Sociais e Obras Religiosas que a Faculdade Vicentina oferece.

Para quem quer aprofundar os conhecimentos na área da Teologia, a Faculdade Vicentina apresenta uma lista com recomendações de leitura, com a curadoria do Pe. Eliseu Wisniewski – mestre em Teologia, integrante da Congregação da Missão Província do Sul e do corpo docente da graduação em Teologia da FAVI.

Clique no nome do livro para acessar uma resenha sobre a obra:

 

Leia também o artigo “Carlo Acutis: O Ciberapóstolo da Eucaristia”, sobre a beatificação realizada na Basílica Papal de São Francisco, na cidade de Assis, Itália.

Com a presença de professores e estudantes, a chapa Sapere Aude deu início ao seu mandato no Diretório Acadêmico da Faculdade Vicentina (DA-FAVI), em 2021.

A eleição foi realizada no dia 20 de maio e a cerimônia de posse aconteceu no dia 24 do mesmo mês. Ambas de maneira virtual.

Embora a convivência comunitária ainda tenha restrições, em virtude das medidas preventivas relacionadas à Covid-19, a Faculdade Vicentina preza pela atuação do Diretório Acadêmico, como órgão importante de representação dos alunos.

Confira quem são os alunos que compõem a chapa eleita:

Chapa Sapere Aude

Presidente: Ricardo Vicente Biella Garcia (1º ano de Teologia)
Vice-presidente: João Paulo Sousa (2º ano de Filosofia)
Primeiro Secretário: Matheus Gomes da Silva (2º ano de Filosofia)
Segundo Secretário: Wilmar Adriel Wolff Rodrigues (2º ano de Filosofia)
Primeiro Tesoureiro: Bruno Luiz Lazaroto Ravaneli (1º ano de Filosofia)
Segundo Tesoureiro: Felipe Junior Vidal Norato (2º ano de Filosofia)
Primeiro Conselheiro: Dhionatha Erick Galvão (2º ano de Filosofia)
Segundo Conselheiro: Rafael Henrique Pereira Nazareno (Propedêutico)

Transição

Os integrantes da gestão anterior do Diretório Acadêmico também participaram da cerimônia de posse do novo grupo de representantes discentes. 

Em nome da chapa Kairós, o aluno Icson Rodrigo Gentek, que exercia o papel de presidente do DA-FAVI até então, fez seus agradecimentos e entregou o cargo aos eleitos.

Mais Artigos...