A Faculdade Vicentina convida toda a comunidade para a missa de abertura do ano acadêmico de 2018 – a ser realizada no dia 7 de fevereiro, às 9h, na Igreja São Vicente (Av. Jaime Reis, 531), em Curitiba – e para a Aula Magna que acontecerá logo em seguida. A missa será presidida pelo Visitador Provincial dos Padres Vicentinos, Pe. Odair Miguel Gonçalves. E a aula inaugural de todos os cursos – sobre “Os grandes desafios da formação para o século XXI” – será ministrada pelo Dr. Pe. André Marmilicz.

Aula MagnaNeste momento de ação de graças, a Congregação da Missão Província do Sul e a comunidade acadêmica da Faculdade Vicentina aproveitam para agradecer profundamente ao Pe. André e ao Pe. Edson Friedrichsen, pela dedicação e pelo serviço qualificado que prestaram nos anos em que exerceram, respectivamente, as funções de diretor geral e administrador da FAVI.

Com alegria, acolhem também o Pe. Ilson Luís Hübner, que tomará posse como novo diretor geral da instituição, e o Pe. Marcos Gumieiro, como administrador.

Cronograma

Os interessados nos cursos de graduação em Filosofia e Teologia ainda têm mais uma chance de se inscrever para o Vestibular Agendado, que pode ser realizado até 16 de fevereiro. A FAVI também está recebendo inscrições para seus cursos de pós-graduação, que começarão no mês de março.

Nesta segunda-feira (22 de janeiro), todo o time de profissionais da Faculdade Vicentina volta ao trabalho. 2018 promete ser um ano de muita reflexão sobre a realidade do país, o que exigirá discernimento, senso crítico e esperança. Por isso, para dar início a este período letivo, a equipe da FAVI relembra um dos ensinamentos que o Papa Francisco destacou durante as comemorações dos 400 anos do carisma vicentino: “Acolher não é apenas pôr-se a trabalhar, mas abandonar o que é meu”.

No Simpósio da Família Vicentina em Roma, na Itália, realizado em outubro do ano passado, o Papa desenvolveu este pensamento, falando sobre os três verbos que considera simples, mas muito ligados ao espírito vicentino. São eles: adorar, acolher e ir. O primeiro refere-se ao cultivo da vida interior. O segundo está relacionado à atitude de abrir espaço e estar disponível para alguém. E o terceiro tem a ver com o entusiasmo de fazer acontecer, de buscar o encontro com os outros que precisam.

Momentos antes da participação do Papa nas comemorações, o padre Tomas Mavric, Superior Geral da Congregação da Missão e das Filhas da Caridade, afirmou: “De um pequeno grão de mostarda em 1617, a Família Vicentina tornou-se agora uma frondosa árvore, composta por mais de 200 ramos (associações leigas, congregações de vida consagrada) com cerca de dois milhões de membros em 150 países”. E completou: “a Família Vicentina também é composta de homens e mulheres que, apesar de não pertencerem a um ramo particular, inspiram-se no exemplo de São Vicente de Paulo, para seguir seus passos no serviço dos pobres".

E com esta certeza de que todos podem contribuir para um mundo mais humano e justo, a FAVI dá as boas-vindas para seus alunos, professores e demais colaboradores.

Uma história baseada na caridade
O carisma vicentino foi iniciado em 1617, na Igreja de Chatillon, na França, quando Vicente de Paulo exortou os fiéis a ajudarem uma família pobre da paróquia. A família foi salva pela pronta resposta a este convite à ação e como resultado deste momento, Vicente compreendeu que a caridade para ser efetiva devia também estar bem organizada, um evento que tem mudado o mundo nos últimos 400 anos.

Com informações do Instituto Humanitas Unisinos, do portal Vatican Insider e da Associação São Vicente de Paulo.

Aconteceu no dia 8 de dezembro, na cidade de Curitiba, na Paróquia Santo Inácio Mártir e Santa Paula E. Cerioli, a missa em ação de graças pela conclusão do curso de Bacharelado em Filosofia dos alunos da Faculdade Vicentina (FAVI). Um dos momentos mais marcantes foi a solenidade da Imaculada Conceição de Maria.

A missa foi presidida pelo Magnífico e Reverendíssimo Reitor da Faculdade Vicentina, Pe. André Marmilicz, CM. E a homilia foi proferida pelo Pe. Domênico Costela, homenageado da turma, levando a uma reflexão sobre o mundo atual, valores éticos e filosóficos.

Estavam presentes os reitores das casas de formação, bem como os professores e colaboradores da FAVI, amigos e familiares dos formandos. Para o recém-formado Ramon Aurélio Junior da Cunha, as festividades representam um espaço privilegiado de gratidão e fazem lembrar de dois ensinamentos do Papa Francisco: “receber plenamente Deus e a sua graça misericordiosa na nossa vida, e segundo, tornar-nos, por nossa vez, artífices de misericórdia mediante um caminho evangélico e do saber que nos incitou até nos dias de hoje”.

No dia seguinte (9 de dezembro), no Espaço Orleans, ocorreu a cerimônia de colação de grau, cuja mesa solene foi composta pelos professores Dr. André Marmilicz, Dr. Luiz Balsan (coordenador do curso), Dr. Bortolo Valle (patrono da turma), Ms. Aluisio Von Zuben e Dr. Domênico Costela. Os alunos fizeram seu juramento prometendo cumprir com lealdade a tarefa da qual estão incumbidos como filósofos, rompendo o recinto encantado da consciência, valorizando o espírito reflexivo, criativo e sistemático sobre o sereno destino do homem e do mundo. Na sequência, puderam desfrutar de um baile em comemoração à conclusão do curso.

“A celebração foi um misto de alegria e de esperanças futuras, e também foi uma oportunidade de assumir o compromisso de colocar em prática o saber filosófico que aprendemos, de devolver à sociedade caridosamente de forma sábia todo o estudo que nos foi dado. Saber este que nos incita à prática da caridade e do amor. O curso de filosofia nos motivou na construção coletiva de um mundo mais solidário e no desempenho de uma vocação”, afirma Ramon.

A Faculdade Vicentina agradece todos aqueles que confiaram em sua capacidade de formação e parabeniza os mais novos bacharéis em filosofia: Alexandro Geraldo Valadares, Cleber Fabio Oliveira Teodosio, David Matheus Sene Paiva, Felipe de Sousa Passos, Gilson Fernandes de Almeida, Gustavo Luiz de Carvalho Mendes, Hebert Cardozo Lima, Jeferson Dias da Silva, Juliano da Silva, Junior Oliveira da Silva, Junior Souza da Silva, Lynsson Maximo de Almeida, Marcelo Vitor Viana Braz, Michel Araujo Silva, Otávio Antônio Almeida da Silva, Ramon Aurélio Junior da Cunha, Rodrigo Ribeiro de Lima, Ruan Marcos Mascarello, Saulo Galvão Martins e Tiago Costa Santos.

Com a colaboração do aluno Ramon Aurélio Junior da Cunha.

 

Aconteceu entre os dias 11 à 15 de outubro na Cidade de Roma o Simpósio da Família Vicentina tendo como tema do encontro e do ano Jubilar: “Era estrangeiro e me acolhestes…”.

Foram dia de reflexão, de oração e de celebração, com a presença de mais de 11 mil vicentinos de 99 países. Juntos, refletimos os desafios para o futuro do carisma e a necessidade de nos unirmos cada vez mais em uma única rede de solidariedade, partilhando e trabalhando em unidade, atentos as novas realidades de pobreza.

Na audiência papal o superior geral da Congregação da Missão - padre Tomaž Mavrič dirigindo-se ao Santo Padre falou: “Sua liderança tem nos inspirado continuamente e desperta nossos corações, recordando-nos com frequência a mensagem central de Jesus; nos dá coragem e forças para entregar nossas vidas no serviço aos Pobres. Queremos fazer nossas as palavras que Vossa Santidade dirigiu a Juventude Mundial, quando lhes convidava a “fazer barulho”. Queremos “fazer barulho pelos Pobres, em nome dos Pobres e com os Pobres... Santo Padre, queremos continuamente buscar novas e criativas maneiras de responder as necessidades dos Pobres. Com esta finalidade, e para comemorar estes 400 anos, fazemos o lançamento de duas iniciativas: a iniciativa Global da Família Vicentina em prol dos sem-teto e o Festival Cinematográfico Vicentino. Esperamos agregar estas duas iniciativas as demais contribuições assumidas na Evangelização do mundo de hoje.”

Já o Santo Padre nos exortou a buscarmos viver estas três palavras: Adorar, Acolher e Caminhar. Estas três palavras são fundamentais na vida de todos os vicentinos e de todos os batizados.

Adorar: o Santo Padre explicou que a nossa adoração se dá através de uma oração onde devemos nos preencher de Deus para colocá-Lo na vida de cada cristão. Não são somente repetições de formulas, mas colocar-se diante Dele para estar com Ele, dedicar-se somente a Ele nos dará a verdadeira felicidade superando toda forma de dor e de desprezo.

Acolher: o Papa Francisco disse que acolher vai muito além de receber bem as pessoas; é ser disponível, acolhedor, é estar habituado a entregar-se ao outro. Saber que a minha vida não me pertence, nem meu tempo me pertence... É um lento desapego de tudo aquilo que é meu: meu tempo, meu repouso, meus direitos, meus programas, minha agenda... quem acolhe renúncia seu eu, e passa a viver a parti do tu, de todos.

Caminhar: mostra a disposição do vicentino de sair de ir ao encontro do irmão, principalmente o irmão que sofre avassalado pelas diversas situações de pobrezas. E isto nos ensinou São Vicente: “Nossa vocação é caminhar, não somente em uma paróquia ou diocese mas sim por toda a terra. Para fazer o que? Para acender o coração dos homens fazendo o que fez o Filho de Deus, Ele que veio trazer fogo ao mundo para acender os corações com seu amor. E esta vocação de Vicente é valida para todos nós, afirmou o Papa Francisco.

Na missa de enceramento realizada na Basílica de São Paulo Extramuros em sua homilia, o padre Tomaž Mavrič – Superior Geral da CM - comparou o ‘Carisma Vicentino’ a uma semente que foi plantada, deu frutos e precisa agora de cuidados para se manter por muitos outros séculos. “A semente de mostarda plantada pela Divina Providência, por Jesus, no coração de São Vicente de Paulo em 1617, converteu-se numa árvore que ultrapassa dois milhões de membros em 150 países. Pelo ponto de vista humano, isso não poderia acontecer, mas tem sido realizado pelo Plano de Deus”. Justifica. “É a obra de Deus, o agir de Jesus em colaboração com pessoas que escutaram a voz de Jesus e O seguiram para fazer crescer esta semente de mostarda. Do ponto de vista de Jesus nada é impossível, e hoje, testemunhamos este milagre”.

Tomaž Mavrič nos mostrou que os Ramos da Família Vicentina são caminhos na busca da santidade dentro da Igreja. Ele ainda conclamou, por meio da célere frase de Vicente – ‘o amor é inventivo ao infinito’ –, que os membros sejam criativos nos trabalhos que desempenham em favor dos Pobres. “Busquemos juntos caminhos novos e criativos para acudir na ajuda dos Pobres. Nossos esforços, lutas e sonhos comuns não podem deter-se até que a caridade seja globalizada. Nosso desejo e sonho é de que mais e mais pessoas se unam na caminhada para a globalização da caridade”.

Foto: Freepik

Se a busca por conhecimento está nos seus planos para o Ano Novo, a Faculdade Vicentina (FAVI) te convida a participar do Vestibular 2018 e dar o primeiro passo para uma jornada de muito crescimento profissional e pessoal. São dois cursos de graduação: Filosofia e Teologia, ambos no formato de bacharelado.

Quem não conseguiu participar do processo seletivo realizado no início de dezembro, terá uma nova chance. Já estão abertas as inscrições para a prova que acontecerá no dia 31 de janeiro de 2018, das 8h30 às 11h30, na sede da FAVI (Av. Jaime Reis, 531A), em Curitiba (PR). Além da redação, serão avaliados conhecimentos gerais de língua portuguesa, filosofia e história.

A partir de correntes de pensamento que existem há milênios, mescladas à investigação do contexto atual que muda constantemente, a equipe de professores – formada inteiramente por mestres e doutores – incentiva a construção e o amadurecimento de um olhar crítico fundamentado e capaz de trazer à luz novos significados para a realidade. Sem perder o papel de fornecer base e orientação para o futuro profissional e acadêmico de seus alunos, a instituição também tem como diferencial a sólida formação humana, com a certeza de que todos possuem um grande potencial para aprender e podem ser protagonistas de seu próprio desenvolvimento.

Tradição e crescimento humano
Em 2017, a FAVI comemorou 11 anos do início de suas atividades credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC). Mas a tradição da educação vicentina, com o curso de filosofia, já ultrapassa cinco décadas. Neste tempo, foram mais de 3 mil alunos formados, somando os cursos de graduação e pós-graduação.

Para 2018, a Faculdade já está se preparando para receber os novos alunos e dar continuidade a esta história que, ano a ano, ajuda a formar cidadãos comprometidos com o desenvolvimento ético, social, cultural e político da sociedade.

Inscrições
No site, estão disponíveis informações gerais sobre os cursos, incluindo grade curricular, horários das aulas e corpo docente. Para ler o Manual do Candidato e se inscrever para o vestibular (até o dia anterior ao da prova), basta acessar o link: www.faculdadevicentina.com.br/vestibular2018. A taxa de inscrição é de R$85.

Em caso de dúvida, os interessados podem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone (41)3222-7716.

Serviço
Vestibular 2018 - Faculdade Vicentina
Prova: 31 de janeiro, às 8h30
Informações e inscrições: www.faculdadevicentina.com.br/vestibular2018

 

Mais Artigos...